ODE À IGNORÂNCIA

Felizes são os ignorantes, pois fim de novela tem várias vezes ao ano.

Todo mundo está cansado de saber e ninguém para pra pensar sobre como o mundo anda perdido.

Pensar…ta aí uma palavra rara e mais raro ainda é o ato na primeira pessoa do presente do indicativo já que a maioria usa a primeira pessoa do pretérito imperfeito.

Não é redundância nenhuma afirmar que chegamos na era da estupidez. E pensar que o ser humano se diferencia dos outros animais pela capacidade de raciocinar e melhorar o seu meio. Isso me faz lembrar o magistral Ilha das flores:

“Os seres humanos são animais mamíferos, bípedes, que se distinguem dos outros mamíferos, como a baleia, ou bípedes, como a galinha principalmente por duas características: o telencéfalo altamente desenvolvido e o polegar opositor. O telencéfalo altamente desenvolvido permite aos seres humanos armazenar informações, relacioná-las, processá-las e entendê-las. O polegar opositor permite aos seres humanos o movimento de pinça dos dedos o que, por sua vez, permite a manipulação de precisão.

O telencéfalo altamente desenvolvido somado a capacidade de fazer o movimento de pinça com os dedos deu ao ser humano a possibilidade de realizar um sem número de melhoramentos em seu planeta, entre eles, plantar tomates.”

Talvez esta seja a melhor época para falar sobre tal assunto. Período eleitoral.

Como a banalização, que já tinha passado e se instalado na violência, fez escola na educação e agora chegou de vez na política. Tudo e todos andam tão desesperançosos que assistir propaganda eleitoral gratuita é ver um show de horrores daqueles mais grotescos com a palavra mentira piscando em neon na testa de muita gente.

Sábias as palavras de um aluno hoje ao me contar que foi indagado para votar em tal político porque ia ser bom para os estagiários e diante da situação ele responde: – eu não pretendo ser estagiário para a vida toda.

Meio ambiente, política, artes, educação, tudo ficou banal. Tudo pode ser moeda de escambo. Tudo pode ser pechinchado e virar moeda de troca por “jeitinho” ou dinheiro.

É triste ver gente se orgulhando da falta de educação; confundindo grosseria com personalidade forte e batendo no peito por ser corajoso. Confundindo pulso firme com rebeldia sem causa, ser gente de palavra com preconceito enraizado.

Jornal, noticiário, internet virou a ferramenta mais útil para se ficar pasmado em âmbito mundial.

Ser professor é talvez uma das maiores experiências com a frustração. É uma luta diária com a tentativa de se fazer efetivo o crescimento humano através do conhecimento, de abrir cabeças e fazer com que as pessoas viagem em todos os sentidos da palavra; que reconheçam que o preconceito é limitador de criatividade. Mas essa é uma batalha muito dura e muito desigual e me assustar pensar isso no alto dos meus 27, como se já se estivessem passado 40 anos de carreira.

Quem vai querer ouvir o que Goethe, H.G. Wells, George Orwell, Machado de Assis, Drummond, Kafka, Garcia Marquez, Shakespeare (que dizia que “Só há uma treva: a ignorância.”), Truffaut, Dostoievski entres outros tantos, têm a dizer quando a Angélica é tão bonitinha ou o Luciano Hulk é tão caridoso. Não que eles sejam ruins, pois como publicitário penso o contrário; mas pena de quem só bebe deles e da emissora deles como fonte. Ou mesmo pra que saber o preço da cesta básica ou sobre o aumento na taxa de iluminação pública se a fulana vai trair o marido rico com o empregado pobre no capítulo de hoje da novela? Pra quê chorar pelos mortos da guerra do Iraque se é muito mais triste saber que o casal do big brothr brasil não vão mais ficar juntos?

Com tudo isso, me pego às vezes com pensamentos pequenos de exaltação aos alienados, pois quanto mais deles e dos pequenos de alma e mente existirem, mais chance eu tenho de ganhar meu espaço; menos concorrência na vida…mas no fundo vejo que minhas aulas, este blog…são tentativas de pensar o contrário. Mas mesmo assim é impossível não lembrar do Cazuza nessas horas quando ele dizia:

Pras pessoas de alma bem pequena remoendo pequenos problemas querendo sempre aquilo que não têm, vamos pedir piedade Senhor, piedade

Pra essa gente careta e covarde

Vamos pedir piedade Senhor, piedade

Lhes dê grandeza e um pouco de coragem

Pelo contrário do que possa parecer, não tenho a ilusão de achar que estou escrevendo tudo isso do auge da pirâmide intelectual, pois estou a tantos quilômetros do topo que as próprias nuvens me impedem de ver o cume e J. Kennedy já dizia que quanto mais aumenta nosso conhecimento, mais evidente fica nossa ignorância.

Só poderia terminar com as últimas palavras do Jorge Furtado no ano de 88 no roteiro de “Ilha das flores”:

“Os humanos se diferenciam dos outros animais pelo telencéfalo altamente desenvolvido, pelo polegar opositor e por serem livres. Livre é o estado daquele que tem liberdade. Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.”

“Se conhecimento pode trazer problemas, não é sendo ignorante que poderemos solucioná-los.” (Issac Assimov)

Anúncios

Sobre vidarealinventada

Chato, curioso e inconstante.
Esse post foi publicado em Vida real e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para ODE À IGNORÂNCIA

  1. Regina disse:

    ah, achei teu blog, maldito!!!
    interessante ler o teu post exatamente neste momento da minha vida. Saí deste ambiente de loucura eleitoral e vim pra esse lugar onde a infelicidade é palpável. No meu isolamento em Gorpa, eu não imaginava que o impacto da crise tinha sido tão grande. E o pior é que eles nem sabem disso. Por isso, independente do partido ou das diretrizes que o Brasil seguirá nos próximos anos, vou continuar esperançosa porque ao menos no Brasil a gente sabe dos nossos problemas e há um sentimento, ainda que vindo de poucos, de que temos que ajudar na construção de um país mais justo. Aqui só há crise, ignorância (novela é fichinha perto do que esse povo consome), consumo desenfreado e uma falta de habilidade para lidar com as dificuldades. Eita gente mal acostumada!!

  2. bruno disse:

    Sempre me perguntei se a satisfação de ver 1 ou 2 alunos (pessimismo, né) empolgados com o que quer que o professor faça, compensa a frustração de 20~30 mais interessados em qualquer coisa descartável.

    No fim sempre chego a conclusão que é melhor mesmo plantar tomates, e só. Hahaha

  3. pvkresselack disse:

    “Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência.” A.S.

    É o resumo da obra, neah?!

    “Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.” F.N.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s