Blues da piedade

Realmente agosto não deve ser um mês fácil.

Sabe aquele mês que os problemas esperam amotinados para numa segunda-feira quente, logo pela manhã, baterem à sua porta com cara de visita inconveniente e se sentarem no seu sofá com ar de vim pra ficar? E logo depois que você abre a porta, depois de algumas batidas, curioso esperando boas notícias e novidades, eles entram e como não gostam de andar sozinhos (por que problema pouco é bobagem), chegam em fila indiana. Depois de injuriado de tentar atender a porta pela esperança da “coisa boa” chegar, você logo deixa ela aberta e corre para o quarto procurar sua pequena caixinha de paciência que um dia você viu perdida, meses atrás, na sua gaveta de bagunças. Vai logo atrás da de paciência por que a de força você já desistiu de encontrar faz tempo.

Hoje, após aquela segunda-feira com máscara do Jason e luvas do Freddy Kruger, eu me deparo com um trecho de uma música que há um tempinho estava na minha cabeça e uma amiga coincidentemente postou no twitter. Depois dessa segunda-feira esta música merecia um post. Enquanto isso vou ver na gaveta de meias se não foi lá que deixei minha migalha de paciência pedindo piedade, Senhor piedade…

Será que falta muito para o carnaval?

Blues da Piedade

Composição: Roberto Frejat/Cazuza

Agora eu vou cantar pros miseráveis
Que vagam pelo mundo derrotados
Pra essas sementes mal plantadas
Que já nascem com cara de abortadas

Pras pessoas de alma bem pequena
Remoendo pequenos problemas
Querendo sempre aquilo que não têm

Pra quem vê a luz
Mas não ilumina suas minicertezas
Vive contando dinheiro
E não muda quando é lua cheia

Pra quem não sabe amar
Fica esperando
Alguém que caiba no seu sonho
Como varizes que vão aumentando
Como insetos em volta da lâmpada

Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem

Quero cantar só para as pessoas fracas
Que tão no mundo e perderam a viagem
Quero cantar o blues
Com o pastor e o bumbo na praça

Vamos pedir piedade
Pois há um incêndio sob a chuva rala
Somos iguais em desgraça
Vamos cantar o blues da piedade

Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem

Anúncios

Sobre vidarealinventada

Chato, curioso e inconstante.
Esse post foi publicado em Vida real e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s